11.10.10

O que é? E por quê? Estudamos Aprendizagem.

Se tivéssemos que definir aprendizagem a resposta imediata teria algo a ver com aquisição de informação. Logo, tudo o que você aprende e tende a mudar seu comportamento, a partir de suas novas percepções, pode ser considerado um fenômeno de aprendizagem. Uma criança que teme a presença de um cão, provavelmente aprendeu de alguma forma, seja com um latido mais forte que tenha lhe assustado, ou com alguma relação agressiva por parte deste animal, um simples arranhão, um ataque, ou até mesmo uma mordida lhe ensinou que a presença daquele animal poderá lhe causar algum perigo. Logo, na medida em que aquela criança revela alguma mudança no seu comportamento, a partir daquela percepção, pode-se afirmar que sua atitude mudou como resultado daquela experiência. Contudo, esta idéia de percepção navega em terreno de difíceis interpretações, ou seja, alguns comportamentos não são resultantes de aprendizagens, assim como algumas aprendizagens não são facilmente verificáveis por ocasiões de algumas mudanças de comportamento.
                                               Em muitos casos, o que é adquirido durante a aprendizagem não é tão óbvio, Por exemplo, Toch e Schulte(1961) usavam um aparelho (um estereoscópio) para mostrar a policiais em treinamento, numa apresentação de meio segundo, imagens diferentes para/ cada um dos olhos – num, uma imagem neutra, no outro, alguma forma de violência.Quase invariavelmente, os alunos do terceiro ano relatavam ter visto mais imagens violentas que os novatos (Guy R. Lefrançois, 2008, p.5).
Algumas mudanças de comportamentos não podem ser relacionadas com um determinado processo de aprendizagem, este talvez seja um dos desafios mais significativos da tarefa de educar(aqui me refiro a escola). Que atividade define este ou aquele processo de aprendizagem, em se tratando da escrita, Ferreiro e Luria afirmam que a tarefa de ler e escrever não se inicia na escola, nem se restringem a ela. A existência de um percurso prévio à escolarização é o que define uma pré-história em relação à aprendizagem escolar da escrita(Azenha, M. Graça Imagens e letras; pág: 19). Percebam, que a tarefa de atuar na educação escolar esbarra na complexidade deste tema.
                                                   O termo aprendizagem é mais complexo do que implica uma definição restrita ao ato de adquirir informação. Não fica claro qual a informação os policiais adquiriram durante os três anos de treinamento que os levaram a ver um tipo de imagem com mais freqüência do que o outro. Aparentemente, aprenderam alguma coisa, mas a aprendizagem não envolveu regurgitar a informação; mesmo assim, o comportamento também mudou
(Guy R. Lefrançois, 2008, p.5).
Reportando a citação acima de Guy Lefrançois, esta mesma observação poderia ser feita por ocasião da sensação de medo, ou de prazer quando uma criança visse um cão, ou seja, as experiências em ambos os casos mudaram o comportamento, porém, nem sempre, há a precisão de como ou quando estas percepções ocorreram. Em outras palavras, não seria simples definir através de um processo de aprendizagem as variações comportamentais advindas dali.
Daí decorre o estreitamento dos termos: teorias da aprendizagem e teorias do comportamento. Ainda neste mesmo escopo de similitude, ou proximidade, também teríamos a Psicologia que poderíamos traduzir de forma simplista, visto que este não é o objetivo deste trabalho, como a ciência que estuda o comportamento e o pensamento humano e busca saber como a experiência afeta o pensamento e a ação; observando os papéis da biologia e da hereditariedade; observa a consciência e os sonhos; acompanha como se dá a transformação de crianças em adultos, seus processos de maturação biológica e psíquica; investiga as influências sociais e a contribuição do meio. Em outras palavras, igualmente simplistas, tenta explicar como as pessoas pensam agem e sentem.
Portanto, perceba que esta pequena introdução será objeto de grandes divagações que faremos aqui neste espaço, esta é uma primeira e breve interlocução de um conjunto mais amplo de debates que aqui iremos estabelecer. Participe deste debate, pois espero que o fruto destas conversas nos ajude a produzir melhores e mais consistentes reflexões acerca de tema tão instigante.






16 comentários:

  1. Mariana Drumond Esser21 de outubro de 2010 15:50

    "tarefa de ler e escrever não se inicia na escola, nem se restringem a ela." Concordo plenamente. A escrita é apenas um código. Uma pessoa pode ser letrada, porque assimilou os códigos, agora eles fazem sentido, tem aplicabilidade na sua vida.
    Por exemplo uma pessoa pode identificar uma embalagem de Nescau sem entender o que está escrito.
    Como Elvira Lima colocou, uma pessoa é capaz de se desenvolver independentemente da escola. Ela é capaz de se desenvolver caso haja oportunidade.
    Acredito que cabe à escola despertar no aluno o interesse em aprender. Incentivar a criatividade e a descoberta.

    ResponderExcluir
  2. Como foi dito acima, as teorias de aprendizagem e teorias do comportamento podem se confundir às vezes, pois todo aprendizado vêm de uma experiência, que leva à mudanças no comportamento. Porém, nem sempre essa mudança pode ser observada tão facilmente, pois a aprendizagem modifica não só o comportamento, mas também o potencial do comportamento, ou seja, ela ainda está "guardada" esperando alguma oportunidade para vir à tona.

    Fernanda Mendes - 2º Período de Pedagogia (UERJ)

    ResponderExcluir
  3. O seguinte texto, traz ideias importantíssimas para a nossa prática docente.
    Aprendiozagem é a mudança de compportamento através de uma situação, e isso ocorre bem antes da escolarização. Muitos consideram a escola como o único lugar para aprendermos,porém ela é apenas um instumento para ajudar a guiar os alunos, 24hs por dia estamos aprendendo,ninguém entra na mesma como uma folha em branco, as experiÊncias vividas refletem em sua aprendizagens.

    ResponderExcluir
  4. Como se sabe na escola a aprendizagem se dará, contudo nem tudo o que é ensinado e mostrado aos alunos se refletirá em aprendizagem efetiva,não mudará o comportamento da criança. Pode ser que em alguma brincadeira com outras crianças, possa a partir daquele momento mudar o comportamento do aluno ou se efetivar numa aprendizagem para a vida toda, e não o que o professor tentou ensinar ou mostrar durante todo o tempo que esteve com aquele aluno. A aprendizagem e a mudança de comportamento muitas vezes não estão ligadas, contudo cabe a escola fazer o seu papel de educar seu alunos mesmo que não sendo na sala de aula mas também no convivio entre as pessoas que estão naquele ambiente escolar ,cabe também a familia estimular aprendizagem que muitas das vezes começa em casa.

    Karine Maia -2°P Turma:1 (UERJ-PEDAGOGIA)

    ResponderExcluir
  5. A aprendizagem ocorre o tempo todo. Sendo assim, a escola não é o único espaço de aquisição e elaboração do conhecimento. A criança já trás consigo uma bagagem de conhecimentos obtidos pela sua experiência com o mundo.
    Vygotsky apresenta a ideia de que as pessoas em interação umas com as outras desenvolvem resultados de um determinado assunto e que internaliza essa vivência na forma de conhecimento. Portanto a relação com o mundo e sua forma de percepção refletem no processo de aprendizagem.

    Jeane de Oliveira Lessa.
    Pedagogia - 2°Período Turma 01(UERJ)

    ResponderExcluir
  6. A Aprendizagem é um processo de interação com o social, onde o individuo tende a adquirir um determinado conhecimento através da experiência que está vivendo, pois com isso vai tendo um certa bagagem para o seu desenvolvimento.
    Pode- se então perceber que as crianças possuem por sua vez comportamentos distintos, ou seja maneiras diferentes de se fixar algo, por conta disso terao uma aprendizagem diferenciada também, é a função do professor tentar respeitar a aprendizagem de cada um.


    JULIANA DOS SANTOS MEYNIEL
    PEDAGOGIA- 2 PERIODO TURMA 01 (UERJ)

    ResponderExcluir
  7. Lidar com comportamentos que não vem de aprendizagens,assim como lidar com aprendizagens ocultas,por causa de mudanças de comportamento,é na prática o educador tentar moldar valores no imprevisível,que é o seu aluno.E mais,é não saber de que maneira melhorar as reações adversas que seus alunos lhe apresentam no processo de ensino-aprendizagem.
    LUCIANA MOREIRA
    PEDAGOGIA-2 PERIODO TURMA 01(UERJ)

    ResponderExcluir
  8. A partir do texto podemos concluir que a aprendizagem é decorrente de uma experiência que leva a uma mudança de comportamento do indivíduo, nem sempre perceptivel, mas que está presente. Em contrapartida, podem haver mudanças de comportamentos que não estão atreladas à aprendizagem alguma. Outro ponto explicitado no texto é o de que a aprendizagem ocorre a partir da interação social e cultural vivida pelo indivíduo, em todos os momentos da vida, não apenas na infância. Sendo assim, pode-se afirmar que a aprendizagem não tem sua origem na escola, e nem se restringe à ela. E este é um grande desafio para os educadores: saber como lidar com as diversas experiêcias e os conhecimentos (alheios ao ambiente escolar) trazidos por seus alunos para dentro da sala de aula.

    ANA LUIZA B. M. P. FIGUEIREDO -
    PEDAGOGIA UERJ - APRENDIZAGEM - 2º PERIODO - T.1

    ResponderExcluir
  9. É verdade, aprendizagem não é algo restrito à escola, deve ser um processo em conjunto com o que o aluno aprende em casa. a Teoria da aprendizagem do comportamento acaba sendo uma consequência da outra pois a partir de algo que foi aprendido o comportamento da criança é montado.
    Roberta Pacheco
    Turma 13 de Psicologia da Educação

    ResponderExcluir
  10. Sem dúvidas a escola é um lugar de extrema importância para o desenvolvimento da aprendizagem, mas não é exclusivo nesse papel. Segundo a perspectiva sócio-cultural de Vygotsky, o indivíduo através da experiências vividas, seja em espaço escolar ou não, ela adquire aprendizagens e com isso se desenvolve. A grande questão para nós futuros educadores é sabermos lidar com o desenvolvimento natural da criança e estimulá-lo através da aprendizagem.

    Luana R. Ribeiro Pedagogia UERJ 2º Período/T:01

    ResponderExcluir
  11. Thais S. de Moraes - UERJ Turma 138 de novembro de 2010 14:07

    O texto envolve um assunto bastante interessante. De fato, a aprendizagem pode ser um meio para alterações comportamentais. Igualmente, é possível verificar que o processo de aprendizagem não se limita apenas à aquisição de informação, sendo também indispensável o modo como a mesma será transmitida a fim de utilizar o seu potencial ao máximo. Além disso, entendo também ser imprescindível que o conhecimento tenha aplicabilidade no caso concreto, isto é, na realidade ou no intelecto do indivíduo. Pertinente, portanto, o aprofundamento acerca das teorias comportamentais e sobre o processo de aprendizagem no que se refere ao aperfeiçoamento do ensino educacional no Brasil.

    ResponderExcluir
  12. Lana Costa de Andrade18 de novembro de 2010 03:40

    Percebe-se que ao se tratar de aprendizagem, diferentemente do que se é pensado pela grande maioria, não se fala apenas de um processo referente apenas as instituições de ensino.O individuo encontra-se em um processo de adquirir novas informações e conhecimentos também assimilados em experiências corriqueiras, como citado no texto por exemplo uma relação com um cão. Podendo-se assim notar que efetivamente nem toda mudança de comportamento frente a alguma situação deriva de uma aprendizagem. Criando-se desta forma uma troca entre aluno e educador no processo escolar, já que o aluno também carrega para a sala de aula inúmeras experiências adquiridas fora desta.


    Lan Costa de Andrade, 2º período, Turma:13

    ResponderExcluir
  13. A escola não é mesmo o principal local de aprendizado, mas somente um instrumento para que o que foi apreendido e aprendido em casa seja concretizado. Sem o apoio familiar, o aluno não possui base para absorver o que é ensinado na escola. Todo ser humano é capaz de adquirir conhecimento mesmo sem frequentar um colégio. Essa instituição é, de fato, importante para o desenvolvimento do cérebro do indivíduo, mas não é crucial. Portanto, aquilo aprendido por uma pessoa fora da escola é extremamente mais fundamental do que aquilo que é ensinado entre quatro paredes em um quadro negro, sem a experiência da vida.

    Jade Nunes Araujo, 2º período, turma 13 de Psicologia da Educação

    ResponderExcluir
  14. A aprendizagem se dar na criança desde seu nascimento, a escola entra para acrescentar conhecimento que vem a somar com o que aprende na vida, na experiência diária.

    Marta Carneiro turma 13 UERJ

    ResponderExcluir
  15. Priscila Mendes Viana Turma 13 UERJ6 de dezembro de 2010 10:55

    Tudo segue um processo, na aprendizagem não é diferente, acredito que o papel da escola é dar continuidade a um processo, seja ele de escrever/ler ou de educar a criança em seu sentido amplo.Algumas pessoas entendem que o papel da escola é o de mostrar tudo à criança, ensinar em "primeira mão", o que na realidade não é verdade.Acredito sim que o ideal é que a criança já tenha alguma experiência, que tenha visto, por exemplo, as primeiras letras em casa... Talvez por algumas não terem iniciado no assunto acabam não acompanhando as outras crianças

    ResponderExcluir
  16. Andréa N. psic. educ. 6ª noite12 de dezembro de 2010 03:22

    Elvira Lima diz qua a experiência escolar se insere em um processo contínuo de desenvolvimento do sujeito que se iniciou antes de sua entrada na escola. Logo, todas as experiências vividas na escola, só ganharão sentido se forem articuladas ao processo global de desenvolvimento do indivíduo. Não dá para a escola querer criar um mundo paralelo e não fazer parte de um contexto social e cultural, no qual este aluno está inserido.

    ResponderExcluir